Empresário que não conhece marketing digital paga mais

Marcela Fernandes
10/03/2016
Marcela Fernandes - 10/03/2016

Não conhecer marketing digital é comum. Negligenciar conhecê-lo o quanto antes é devaneio. As desculpas podem ser muitas: falta de tempo, desvio de foco corporativo, o fato de já existir alguém para cuidar disso na empresa e até mesmo não gostar de internet. A realidade é que não conhecer marketing digital é assinar um cheque em branco para qualquer um usar.

 

O termo “marketing digital”, de fato, denota ações de marketing com maior viés sobre meios on-line. Entretanto, é importante frisar que o marketing continua sendo marketing, seja qual for o viés. Significa dizer que o dito marketing digital não vai operar milagres se todo o restante do processo de marketing estiver desamparado, por melhores que sejam os profissionais e o investimento envolvidos. 

 

Empresário que abandona o marketing digital simplesmente oferece à concorrência a oportunidade de liderar a mente do mercado. Se quem não é visto não é lembrado, melhor aparecer bem nos locais mais acessados. Facebook, Google e portais de notícia há quase uma década lideram o ranking das plataformas com maior visibilidade da internet brasileira, conforme pesquisas com Score e Alexa. Portanto, as cartas estão na mesa. Ganha mais quem souber jogar melhor no tabuleiro do marketing digital. 

 

Ainda persiste um pensamento anacrônico de que os meios digitais são terra de ninguém e que até iniciantes sem esforço conseguem vitórias icônicas. Se visarmos a negócios, esse é um pensamento deveras míope. A engenharia por trás das empresas que mais lucram na internet mundial envolve criação de conteúdo especializado, desenvolvimento de plataformas tecnológicas avançadas e divulgação publicitária on-line muito bem arquitetada, além de relacionamento em rede com foco em resultados objetivos. 

 

São copywriters, traffic analysts, metrics analysts, dentre outros profissionais que fazem o marketing digital ir muito além de reactions no Facebook, likes no Instagram e views no Youtube. Comportam-se na lógica do ‘time is money’ e também do ‘just in time’ para gerenciar ações de marketing digital, adaptando inclusive técnicas de TOC (theory of constraints) para escalar seus resultados on-line.

 

Não saber para onde atirar é praticamente fatal. Se um empresário disser, portanto, que hoje em dia essa área digital se resume a criar um site e postar algo nas redes sociais, saiba que ele está perdido, pagando um preço bem mais caro do que se perdesse somente dinheiro. 

 

Fonte: O Povo